Uso de máscara, retorno obrigatório das aulas e vacinação, veja mais sobre as últimas notícias da Covid-19 em Minas Gerais

1971
Secretário afirma que ainda "não é a hora de tirar a máscara". Reprodução: Fábio Marchetto.

Com a queda dos indicadores o Estado deve autorizar a volta de 100% dos alunos às salas de aula

Minas Gerais se aproxima das 25 milhões de doses aplicadas contra a Covid-19. Pelo menos 84% das pessoas acima de 12 anos já tomaram a primeira dose. O impacto da vacinação no combate à pandemia foi apresentado pelo secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Fábio Baccheretti, em coletiva para a imprensa na manhã desta quinta-feira (14).

Segundo o secretário, a ocupação de leitos de UTI por covid-19 está abaixo de 25% e o número de pacientes internados continua caindo. “Não temos nenhuma pressão no sistema de Saúde, temos vagas sobrando nos hospitais do estado”, afirmou Baccheretti.

O secretário pontua que a melhora dos indicadores no estado é devido à velocidade da vacinação, que também diminuiu a circulação do vírus. Tal melhora pode ser observada em 289 cidades mineiras com menos de 30 mil habitantes que apresentaram menos de cinquenta casos nos últimos 14 dias. Pelo menos 523 cidades não registraram óbitos no último mês.

Vacinação adolescentes

O secretário também apresentou os dados de vacinação de adolescentes. Desde o dia 17/9, quando se iniciou a distribuição das vacinas para este grupo, 783 municípios mineiros já iniciaram a imunização das pessoas de 12 a 17 anos. Com uma população estimada em 1.715.990 jovens, já foram aplicadas 459.904 primeiras doses, o que equivale a uma cobertura de 26,8% do grupo.

Dose de reforço

O secretário também reiterou a necessidade de doses de reforço, já que os idosos representam aproximadamente 80% dos óbitos atualmente, apesar da queda constante desse indicador. “É importante lembrar que, quem já tem seis meses da segunda dose e ainda não tomou o reforço, precisam buscar a unidade de saúde, porque os idosos são os mais vulneráveis à doença”, alerta Baccheretti.

Segundo a SES-MG, em Minas Gerais há vacinas suficientes da Pfizer para a imunização de adolescentes e para as doses de reforço de idosos, trabalhadores da saúde e imunossuprimidos.

Protocolo escolar

Desde o dia 8/10, Minas Gerais autorizou 100% da capacidade de alunos em salas de aula. A medida vale também para o transporte escolar, devido ao cenário favorável com a melhora da incidência da covid-19, redução de hospitalização e de óbitos no estado. A boa adesão das escolas públicas e privadas às diretrizes do Governo de Minas motivou a decisão, associada aos benefícios no retorno escolar para o desenvolvimento e socialização de crianças e adolescentes.

Foi mantido o distanciamento físico de 0,9 metro e o uso de máscaras, e o retorno do uso de objetos compartilhados e do uso normal de livros e dos empréstimos da biblioteca sem necessidade de aguardar cinco dias para novo empréstimo.

A íntegra da 5ª versão do Protocolo de Retorno às Atividades Escolares Presenciais está disponível no site: coronavirus.saude.mg.gov.br/gestor/profissionais2/protocolos.

Uso de máscaras

De acordo com o secretário, a expectativa é de que em aproximadamente dois meses a população seja desobrigada a usar a máscara em locais abertos. Mas destacou que ainda “não é a hora de tirar a máscara”.

“Em locais abertos e arejados como praças, parques, o risco é menor, muitos países fizeram isso depois de atingir a imunidade de rebanho. Aqui, no final do mês que vem pode acontecer, já que circulação é baixa do vírus, se a gente conseguir imunidade de rebanho, pode ser, mas não está na hora de tirar a máscara, ainda apenas 50% de pessoas receberam a segunda dose, está longe em número de 70% (quando atinge imunidade). Em dois meses, pode ser desobrigado a usar máscara em locais abertos em Minas. Locais fechados ainda não há como prever”, afirma Baccheretti.