Ramacrisna inaugura Casa da Orquestra no próximo dia 30

1570
Foto: Produtora Antenados.

Evento terá Cantata de Natal com participação do Trio Amaranto

Casa da Orquestra. Esse é o nome do novo espaço que a Orquestra Jovem Ramacrisna vai ganhar para realizar os ensaios gerais. A inauguração será realizada no próximo dia 30 de novembro, às 14h, na sede do Instituto Ramacrisna , localizado na rua Mestre Ramacrisna, 379, em Betim. Neste dia, terá a apresentação de uma Cantata de Natal com a participação especial do Trio Amaranto.

O novo espaço conta com quatro salas separadas por naipes (cordas, madeiras, metais e percussão) e teoria musical, além de varanda e um jardim cercado de área verde. Há também um salão para pequenas apresentações e ensaios coletivos, com grandes janelas e ótima ventilação.

Orquestra Jovem Ramacrisna

Criada em 2005, a orquestra conta hoje com 40 músicos. O projeto atende crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social da comunidade de Vianópolis, em Betim, com idades entre 10 e 24 anos.

Até então, os ensaios eram realizados nos jardins do Instituto e na área aberta em frente às salas onde eram guardados os instrumentos. “Agora, com a Casa da Orquestra, será possível ampliar o projeto, oferecendo um espaço lindo e com mais conforto para os nossos alunos”, destacou a vice-presidente do Ramacrisna, Solange Bottaro.

O maestro Eliseu Martins de Barros comanda o projeto desde 2014. Bacharel em Violino pela UFMG e pós-graduado em Neurociência e Psicanálise Aplicada à Educação, atua com grandes nomes da música brasileira, como Caetano Veloso, Skank e Paula Fernandes. Para ele, o novo local de ensaios é maravilhoso em vários aspectos: “Primeiro porque é um casarão que nos remete à família, um ambiente familiar. Não é como nos prédios, que têm elevador e tal. A casa é acolhedora. E outro benefício é a localização: o casarão é no meio da mata. Por isso, temos muito verde em volta, o que traz tranquilidade, abaixa as tensões, a ansiedade e o estresse”, destaca o regente.

Transformação de vidas – De acordo com Solange, o projeto tem sido um divisor de águas na vida dos alunos. “A Orquestra reúne crianças e adolescentes que chegam inseguros, mas logo descobrem habilidades incríveis. E muitos deles veem na música a oportunidade de ter uma profissão e de realizar o sonho de cursar uma faculdade e ter uma fonte de renda”, afirma.

O maestro Eliseu concorda que muitos alunos chegam ao projeto com a autoestima destruída, não se sentindo capazes. “Nosso trabalho é mostrar que é possível eles vencerem na vida como músicos. Mas muitos deles não conseguem vencer essa barreira emocional e esse é o maior desafio que enfrentamos. Porque na aprendizagem não tem muito problema: eles são muito talentosos e inteligentes e aprendem as lições rapidamente”, ressalta.

Apoio – A história da orquestra começou com a doação de sete violinos e logo se tornou um dos principais projetos do Ramacrisna. O grupo já se apresentou nos principais espaços culturais da região metropolitana e tem no currículo parcerias com artistas como Banda Tianastácia, Trio Amaranto e os tenores italianos Claudio Mattioli e Massimiliano Barbolini, entre outros.

As empresas que têm interesse em ajudar na ampliação do projeto podem contribuir com doações diretas ou por meio da destinação de parte do Imposto de Renda para o Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente (FDCA).

Atualmente, três empresas são parceiras da Orquestra Jovem Ramacrisna: A Nova Transportadora do Sudeste (NTS), que destina recursos através do FDCA, a Hotmart, que contribui pelo programa interno de doações, chamado Hotmart UmporCento, e a Essencis, que também faz repasses via FDCA.