Orquídeas são aliadas da medicina para tratamentos do corpo e da mente

13

Como toda planta, o fundamental para a orquídea são luz, adubação e ventilação, que variam conforme a espécie. Assim, as espécies reinarão, não só como uma das mais belas flores da natureza, como terão potencializado todos os seus benefícios, que vão da saúde até a estética, sem esquecer da decoração. Ela trabalha nos registros emocionais, estresse, depressão, relacionamentos, medo, insegurança e cuidados com a pele, rejuvenescimento e combate aos radicas livres.

No primeiro século depois de Cristo, um médico grego de nome Dioscórides, que serviu como cirurgião do Exército romano, reuniu informações sobre 500 plantas medicinais, entre elas duas “orchis”, em um trabalho intitulado Matéria médica. Desde então, algumas espécies de orquídeas são usadas como medicamento e se tornaram grandes aliadas no tratamento de doenças do corpo e da mente.

Maria Thereza Rosso, psicóloga e especialista em massoterapia e cromoterapia, afirma que “todas as minhas áreas tratam de energia e lidam com as pessoas de forma holística. A massagem vai deixar o paciente mais relaxado e tranquilo para a terapia, por exemplo, e uma agrega conhecimento à outra. Meu marido cultiva e há um ano despertei outro olhar para as orquídeas, que nos proporcionam inúmeros benefícios. Passei a estudar e pesquisar suas funções terapêuticas. É um universo fascinante, que te envolve e é ideal para quem está estressado e deprimido”.

Antes de mais nada, para Maria Thereza, que é deficiente visual, o principal benefício da orquídea é o desenvolvimento da relação afetiva com planta, que responde aos cuidados e libera uma energia incrível. “As orquídeas contribuem para a saúde mental, já que seu cultivo ajuda a combater a solidão, o estresse, a depressão e dificuldades de relacionamento. A relação entre o homem e a planta é transportada para a capacidade de se relacionar no âmbito das relações humanas e ajuda a ter melhoras significativas nas tensões do cotidiano.”

Maria Thereza conta que prescreve florais que atuam sobre a tristeza e o relacionamento entre as pessoas e casais: “E junto com a cromoterapia agrega as cores como potencializadoras. As quentes, como vermelho e laranja, jogam a energia para cima, a pessoa fica com mais prazer em viver. Já as espécies de flores mais frias – rosa, branco, lilás, roxo – proporcionam relaxamento, calma, paz, meditação e elevam a mente”.

A psicóloga, que alia a ciência convencional com práticas complementares, afirma que as orquídeas são um mundo de descobertas: “Uso também a aromoterapia. A essência de orquídea lida com as questões do medo, insegurança, problemas afetivos entre o casal. Aliás, é uma fragrância própria para encontro de casais, estabiliza as emoções”. Vale destacar que o cheiro liberado pelos óleos essenciais estimula diversas partes do cérebro, além de purificar o ambiente.

O extrato de orquídea, lembra Maria Thereza, é usado na indústria cosmética como técnica de rejuvenescimento, com o objetivo de melhorar o aspecto da pele, reduzir manchas e uniformizar a pigmentação. A flor tem a substância mucilagem, com alto poder de retenção de água e, por isso, é usada na fórmula de hidratantes corporais e faciais. “As propriedades da flor têm efeito antioxidante, regulam o aspecto da pele e combatem o envelhecimento produzido pelos radicais livres. Além disso, contêm cálcio, ferro, magnésio e zinco, que melhoram a nutrição da pele e retardam o aparecimento de rugas e marcas de expressão.”

Deixe uma Resposta

Comente aqui
Por favor, escreve seu nome