Operação da Polícia Civil cumpre três mandados de prisão em Betim

1336
Foto: Divulgação PCMG

Rádios comunicadores, drogas e dinheiro também foram apreendidos pelos policiais 

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), desencadeou nesta quinta-feira (30), três mandados de prisão e sete de busca e apreensão na região do bairro Citrolândia,  em Betim. A ação que faz parte da operação Cruciatus, teve o objetivo reprimir o tráfico de drogas na região.

Durante a operação foram localizados e apreendidos rádios comunicadores, drogas e dinheiro. Um dos investigados foi preso em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico, juntamente com um adolescente infrator que foi apreendido pelos atos infracionais análogos aos mesmos crimes.

Segundo o delegado Leonardo Mota, titular da 5ª Delegacia de Polícia Civil em Betim, as diligências provêm de representação criminal formulada durante o inquérito instaurado para apurar crimes de ameaças, lesões corporais, associação criminosa e corrupção de menores.

Investigação

Em meados do mês de agosto deste ano, policiais da delegacia receberam uma vítima do sexo feminino que estava bastante machucada, com diversas lesões aparentes no corpo. Segundo o delegado, a mulher foi acolhida pela equipe dele, e foi registrado um boletim de ocorrência. Depois disso, foi instaurado procedimento investigativo para fins de apuração dos fatos, e conforme apurado durante a investigação, a vítima e o marido foram agredidos por integrantes de uma facção criminosa no bairro São Salvador, em Betim, com requintes de crueldade.

Ainda segundo Mota, as investigações foram iniciadas e foi possível concluir que as agressões sofridas pelas vítimas decorreram de ordens de traficantes de drogas da região, como forma de “aviso”, em reprimenda às supostas ações das vítimas, que conflitavam com os interesses do tráfico.

“Esses avisos funcionavam para intimidá-las e coagi-las, bem como a todos os moradores de bem da região, instituindo-se um verdadeiro “tribunal do crime”. Se os traficantes entendessem que alguém feria algumas das determinações da quadrilha já era julgado e penalizado com violências físicas”, contou o delegado.

Ainda durante as investigações, foi possível identificar e qualificar os suspeitos das agressões mencionadas, oportunidade em que as vítimas prontamente os reconheceram.

Providências

O delegado representou judicialmente pelos mandados de prisão e de busca e apreensão que foram deferidos pela Justiça, fato esse que culminou com a realização da operação.

As investigações continuam para qualificar outros membros da associação criminosa investigada. De acordo com a PC, a operação contou com o apoio de policiais da Regional de Betim e do 2 Departamento em Contagem, com o canil da PCMG e apoio aéreo.