Mochilão Mineiro: top 5 Dos melhores roteiros de viagens e passeios nas férias

823

Com o dólar fechando em R$4,23 e a crise econômica no país longe de chegar ao fim, muitos brasileiros têm optado em viajar por aqui mesmo.

O pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia, da FGV (Fundação Getúlio Vargas) disse ao portal de notícias da Globo, o G1, que as novidades econômicas não são das melhores, “não existe uma bala de prata para o crescimento vir mais forte. De fato, o quadro de fraqueza da economia brasileira não fica apenas restrito para 2019. Em 2020, os analistas estimam um crescimento próximo de 2%”, explica.

Em Minas Gerais não é diferente, apesar de ainda não ser a 1ª opção, o pessoal do “uai sô”, os amantes do pão de queijo com café e uma boa prosa, têm preferido conhecer e apreciar as belezas do estado.

Em contrapartida, segundo Raquel Melo, SEO da Agência Trevolle Viagens, “a procura por roteiros dentro do estado ainda é muito baixa. Apesar da crise nacional, os mineiros continuam optando por viagens para o litoral; a paixão por praias é muito forte em Minas, é algo cultural”.

Via de regra, os mineiros em suma, ainda preferem curtir uma boa praia durante as férias. Porém, para aqueles que estão com o orçamento curto e viajar para as praias do Nordeste ou ir comer um alfajor na nossa vizinha, Argentina, pode ser, no momento, algo inviável.

Pensando no momento de conturbação financeira, com ajuda da Raquel, preparei um top 5 de passeios curtos e longos por aqui mesmo, nas cidades mineiras. Confira:

 

Mochilão Mineiro – Top 5

 

  1. Circuito Das águas: onde se visitam as águas termais de 14 cidade Algumas delas são: Caxambu, São Lourenço, Cambuquira etc, elas apresentam 37 fontes de água mineral e 267 pontos turísticos (https://circuitodasaguasmg.com.br/).

2. Vesperata Diamantina: com uma temporada anual pré-definida, a vesperata atrai turistas o ano todo em busca de apreciar a boa música. Acontece na rua da quitanda onde os músicos se posicionam nas sacadas e o maestro rege no meio do povo.
As músicas variam entre temas de filmes, serestas e marchas militares (haja vista que é a banda da polícia militar quem as executa).

3. Circuito de cidades históricas (Tiradentes, Diamantina, Ouro Preto, Mariana, São João Del Rey, Sabará, Congonhas etc.) são muitas, portanto é possível fazer roteiros de 3, 5, 7 dias ou mais, dependendo da disponibilidade; nelas é possível conhecer o ciclo do ouro, a história escravocrata, em Congonhas as obras de  aleijadinho (e o peculiar Museu de Congonhas). São igrejas, feirinhas de rua, museus e tudo mais que compõe o início da história de Minas Gerais.

4. Rota do Queijo: a rota é composta pelas principais cidades: Araxá, Campo das Vertentes, Serra da Canastra (onde o parque merece atenção), Alto da Parnaíba, Triângulo Mineiro e Serro (onde oferecemos o roteiro de vivência dessa produção); nessas cidades ainda é possível viver o ecoturismo ofertado pelo cerrado, suas cachoeiras e gastronomia local.

5. Bate e volta de grandes procuras (com saídas de Belo horizonte):
– Inhotim. Instituto de arte contemporânea em Brumadinho, um dos maiores museus a céu aberto do planeta.

– Santuário do Caraça. Patrimônio da cidade de Catas Altas é composto de museu, igreja, cachoeiras no parque e a visita peculiar(noturna) do lobo Guará.
– Serra do cipó. Forte em seu ecoturismo, apresenta charmosas pousadas e parques de cachoeiras.
– Circuito das Grutas. Gruta da Lapinha (Lagoa santa),Gruta de Maquiné (Cordisburgo), Gruta do Rei do Mato (Sete Lagoas).

 

Confira abaixo a galeria de fotos:

Fotos: Agência Trevolle Viagens

 

Foto: Milho verde. Agência Trevolle Viagens

 

Foto: Serro

 

Foto: Tiradentes

 

Foto: Congonhas

 

Foto: Parque Estadual Pico do Itambé.