Eu sou assim. (?)

1417

Existem tantas perspectivas do Eu, tantos pontos de vista para se considerar, que uma descrição limitante (Eu sou assim.) pode ser um alerta de sofrimento psíquico. Se cristalizar enquanto ser humano, pode significar personificar o ditado: “Murro em ponta de faca”. Em outras palavras: Um mundo que não para de mudar, traz sofrimento aos inflexíveis. “Olha, no meu tempo…”, disse um viajante que não considera o presente como seu, se agarrou no passado e acredita que o futuro seria melhor sem avanços.

Sou tantas coisas em um só, sou tão diverso quanto as estrelas e sou tão profundo quanto o mar. Mas, se por vontade ou inconsciência, posso ser mais raso que poça de chão pós chuva. “Eu sou assim”. Disse quem mal se conhecia, porque quem se conhece não sofre um bocado, muito pelo contrário, sabe pelo que sofrer. Já que nem tudo lhe diz respeito, entende direitinho o que se sente. E se sente, é com vontade de entender e não esconder o que quer que esteja acontecendo ali dentro.

Será que você é assim? Tanto tempo já se passou, o disco arranhou tanto que caiu ao chão quebrado, o tempo já comeu algumas incertezas e novas ideias brotaram, mesmo que inconvenientes para você. Eu sei que é difícil ouvir, mas você não é o mesmo de antes. Mudar de opinião pode parecer abominável, mas acredite se quiser, não dói nada. Dar murro em ponta de faca pode ser essa atitude cega de continuar com o que não dá certo ou faz sentido.

Se não consegue sozinho (a), pedir ajuda não arranca pedaço, na verdade devolve muito do que se perdeu: a noção do tempo, o olhar para frente, a compreensão do hoje sem apego sufocante ao passado, um novo disco, uma nova lente, a possibilidade do eu, a brisa do presente, o gosto pelo futuro e o entendimento do que se quer para o amanhã. Quem você está sendo?

Fernando Miranda é Psicólogo Clínico e Psicólogo Escolar, atuante na cidade de Betim e
Brumadinho (MG), formado pela PUC Minas e pós-graduando em sexualidade humana.
Atende pela modalidade on-line para brasileiros em qualquer parte do mundo.
Mais informações acesse a @casa.psi no Instagram.