Covid-19: Ministério da Saúde orienta suspensão da vacina em adolescentes sem comorbidades

101
Foto: Geraldo Bubniak/ Agência Estadual de Notícias

Prefeitura de Betim mantem a vacinação nos adolescentes de 17 anos, mas  aguarda as orientações da Secretaria de Estado da Saúde 

O Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 voltou atrás na decisão de vacinar adolescentes com menos de 18 anos, mesmo com autorização da Anvisa liberando o uso da Pfizer.  De acordo com a nota informativa publicada nesta quarta-feira (15), a secretaria não recomenda a vacinação de crianças e adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades, e explicou que a maioria desses adolescentes acometidos pela COVID-19 apresentam evolução benigna, e são assintomáticos ou oligossintomáticos.

Ainda de acordo com a nota, os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades não estão claramente definidos.  A secretaria também explicou que nos últimos 60 dias, houve redução na média móvel de casos e óbitos no país.  Segundo os dados apresentados na nota, a queda foi de 60% no número de casos e queda de mais de 58% no número de óbitos por covid-19.

Com a mudança, a orientação do ministério é que não seja feita a vacinação deste grupo. Ficando restrita apenas aos adolescentes com deficiência permanente ou com comorbidades, e aqueles que estejam privados de liberdade.

A decisão contraria uma outra publicada pela pasta no dia 2 de setembro, que recomendava a imunização nos adolescentes sem comorbidades a partir do dia 15 de setembro. O próprio Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que participa das decisões sobre os rumos do Plano Nacional de Imunizações, também divulgou nota nesta quarta-feira garantindo que a vacinação de todos os adolescentes é segura e será necessária.

Conforme a nota, o Conass esclarece que a prioridade neste momento é para aqueles com comorbidade, deficiência permanente e vulneráveis como os privados de liberdade e em situação de rua. Havendo quantitativo de doses suficientes para atender a estas prioridades deve imediatamente ser iniciada a vacinação dos demais adolescentes.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que é fundamental cumprir as recomendações do Programa Nacional de Imunização (PNI). Segundo ele essa mudança tem relação com estados e municípios que estão passando à frente das recomendações em relação ao tempo de aplicar o imunizante e ao tipo de vacina que é usada.

“O que nós observamos, além de antecipar a aplicação doses em adolescentes, é a aplicação de outras vacinas para adolescentes em comorbidades. Por isso, o Ministério da Saúde emitiu uma nota informativa restringindo a vacinação para adolescentes com comorbidades e com o imunizante autorizado”, explicou.

Município  de Betim 

Em nota, a Prefeitura de Betim informou que está mantendo a vacinação contra a Covid-19 dos adolescentes de 17 anos. A imunização começou nesta quinta (16).  A prefeitura ressaltou que está aguardando as orientações da Secretaria de Estado da Saúde (SES), sobre a Nota Informativa do Ministério da Saúde. Se houver alguma mudança em relação à vacinação, a prefeitura irá comunicar à população Betinense.