27º Concerto Contra o Preconceito tem nova data; confira as atrações

580
Foto: Google Imagens - Rede Super de Televisão

Haverá shows da dupla Danilo Reis e Rafael e do grupo de forró Chama Chuva

O 27º Concerto Contra o Preconceito, a ser celebrado na Colônia Santa Isabel, terá novas datas. O evento, que marca o enfrentamento contra o preconceito da hanseníase será realizado nos dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro.

A programação contará com shows da dupla sertaneja vencedora da 3ª edição do programa The Voice Brasil, Danilo Reis e Rafael, e com o grupo de forró, Chama Chuva.

O tradicional evento, que relembra um importante período da história do município, é promovido pela Prefeitura de Betim, por meio da Fundação Artístico-Cultural de Betim (Funarbe), em parceria com o Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan Betim), a Associação de Moradores da Colônia Santa Isabel e a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig).

Para o presidente da Funarbe, Dudu Braga, muito mais que uma festa, o Concerto Contra o Preconceito conta para as gerações atuais histórias que fazem parte da memória dos moradores da Colônia Santa Isabel. “É com muita alegria que realizamos o 27ª Concerto Contra o Preconceito, que terá diversas atividades, que trazem bem estar, promovem a região e aumentam a autoestima dos moradores da Colônia. Além disso, a festa traz um alerta à população sobre a hanseníase e é um importante movimento de combate ao preconceito”, afirmou Dudu.

De acordo com o coordenador do Morhan Betim, José Roberto de Oliveira, o Concerto Contra o Preconceito é de suma importância para que as pessoas conheçam a história da Colônia Santa Isabel, além de se informarem sobre a hanseníase. “O concerto abre as portas da Colônia para fazer a integração com a comunidade, mostrando que não há porque ter preconceito. Essa é a maior grandeza do evento”, afirmou José Roberto.

Colônia Santa Isabel

Construída como alternativa para o controle da hanseníase, crescente no Brasil na década de 1920, a Colônia Santa Isabel recebia pacientes portadores da doença do Estado de Minas Gerais e de outras regiões do país. Por meio da ação de “médicos caçadores”, os enfermos eram isolados do convívio social, separados de suas famílias e internados compulsoriamente no hospital, inaugurado em 1931.

Mais tarde, próximo à Colônia, surgiu o bairro Citrolândia, criado especialmente para abrigar familiares dos pacientes. Por vários anos, os moradores da região sofreram com o preconceito. Somente no fim da década de 1980, com a mudança da política nacional em relação às 33 colônias de hansenianos existentes no Brasil, os pacientes receberam alta e os portões da Colônia Santa Isabel foram abertos.

Hanseníase

A hanseníase é causada pelo Micobacteriumleprae, um bacilo que causa manchas na pele, perda de sensibilidade dolorosa, tátil e térmica (calor, frio), atinge os nervos provocando lesões neurais. Para que a transmissão ocorra, é necessário um período longo de exposição à bactéria, acontece quando uma pessoa com hanseníase, na forma transmissível, sem tratamento, elimina o bacilo para o meio exterior, infectando outras pessoas suscetíveis.

A hanseníase é uma doença de notificação compulsória, sendo um dos problemas que merecem atenção da saúde pública, pois o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no mundo no registro de novos casos, com 10.000 novos casos por ano.

“Ao notar os sintomas, procure a Unidade Básica de Saúde de referência: manchas brancas, vermelhas ou marrons em qualquer parte do corpo; alteração de sensibilidade e tato, dor e sensação de choque, inchaço ou úlceras de mãos e pés, caroços (nódulos) no corpo, sangramento ou ferida do nariz, ressecamento dos olhos”, explica a referência técnica da hanseníase da Secretaria de Saúde de Betim, Suely Ponce.

O tratamento é gratuito pelo Sistema Único de Saúde, com a indicação de Poliquimioterapia, uma associação de medicamentos. A doença tem cura.   Dados de 2019, Betim registrou seis novos casos de hanseníase.

27º Concerto Contra o Preconceito

Local: Praça da Matriz – Colônia Santa Isabel

Data e horário: 31 de janeiro (sexta-feira), a partir das 18h, e 1º de fevereiro (sábado), a partir das 16h.