Você sabe negociar?

261

Coluna de André Carneiro

Já parou para pensar sobre negociação? Se você tem a táticas para negociar? Se não, o momento é oportuno para essa reflexão.

Se olharmos ao nosso redor, todos nós somos negociadores potenciais, afinal, negociamos o tempo todo, todo o tempo. Em casa negociamos com a nossa esposa e marido, o melhor horário para comer uma pizza, a roupa ideal para aquela festa ou lazer, negociamos com os filhos qual horário deverão retornar para casa, se emprestaremos o carro ou não.

Já no ambiente de trabalho, negociamos com os nossos colegas e superiores, várias questões mesmos que corriqueiras, quando vamos adquirir qualquer bem móvel ou imóvel e de uso pessoal estamos exercitando a negociação, no exercício de nossa liderança, nas escolas, em qualquer ambiente inclusive religioso e filantrópico também negociamos; negociamos a todo o instante!

E para negociarmos bem em qualquer circunstância, é necessário conhecer 14 conceitos básicos da negociação, tais como:

  1. Quais são os meus objetivos?
  2. O que realmente pretendo?
  3. O que sei?
  4. Qual o real interesse do interlocutor?
  5. O que me interessa?
  6. O que não interessa ao interlocutor?
  7. Qual a moeda de negociação?
  8. Quais as possíveis perguntas do interlocutor?
  9. Que respostas darei ao interlocutor?
  10. Quais as respostas mais adequadas?
  11. Que perguntas devo fazer?
  12. Que tom de voz deve utilizar?
  13. Quais as fontes comuns de conflitos?
  14. Houve falhas na compreensão do que foi dito

Ao negociar, procure identificar esses pontos, lembrando que negociação não é barganha! Negociação é uma arte que se aprende com a prática, estudo e aperfeiçoamento diário, é um exercício que poderá trazer resultados excelentes para quem os pratica.

Tenho me dedicado a este assunto há décadas e posso afirmar que poucas pessoas sabem negociar com excelência. Vivemos num mundo globalizado onde saber negociar faz toda a diferença entre o sucesso e o fracasso, entre a felicidade e a tristeza, entre a riqueza e a pobreza.

Se existe uma profissão que perdurará ao longo da existência humana, estou certo de que a de negociador é uma delas, nenhuma tecnologia será capaz de substituir o olho no olho, o tete a tete, o aperto de mão, o abraço, o toque, o encontro, ainda que seja à distância. Sabemos que pessoas gostam de pessoas e que as relações humanas tendem a se fortalecer à medida do “gelado” necessário e irreversível avanço tecnológico.

 

5 Comentários

  1. Concordo…
    e é relevante também registrar que devemos saber lidar com a tecnologia, pois ela estará sempre presente e com avanços surpreendentes…mas, para um bom “negociador” a carta na manga deve ser: ” Pense digitalmente mas faça analogicamente” … e não perca a carruagem do tempo!

  2. Excelente e oportuno artigo, muito atual, principalmente após sermos inundados pela tecnologia que, muitas vezes, afasta as pessoas e as impede de negociar efetivamente, no modelo “ganha ganha”.
    Parabéns e continue a nos brindar com outros artigos.