A história do lenço e sua versatilidade

310

 

Um acessório a mais sempre pode ser o aliado para mudar a sua produção. Sabe aquele
“truque de style”? O lenço pode ser o terceiro elemento ideal para você que quer transformar um look basiquinho em algo estiloso sem quebrar a cabeça.

Podemos dizer que o lenço tem aquela pegada vintage, mas que tem ganhado um ar de
modernidade. Grandes divas do passado como Grace Kelly e Audrey Hepburn, tinham um
lenço pra chamar de seu. Elas fizeram história com seus lenços icônicos, combinados com
óculos de sol de proporções oversized.

Agora, o acessório voltou para a mira dos estilistas e se consagrou como tendência nas passarelas nacionais e internacionais. As marcas se reinventam com as estampas e eles estão ganhando destaque na semana de moda apresentando o verão 2019. Usado na cabeça, no pescoço, nas bolsas e até mesmo como cinto, o lenço é o queridinho da vez e sua versatilidade promete fazê-lo durar no armário por muitas estações.

Nomes de peso do mundo da moda como Gucci e Versace apostaram firme no acessório, que ganhou destaque total nas semanas de moda e também vimos no Minas Trend a estilista Fatima Scofield apostando nesse acessório.

Rastreamos o item que tem dominado a passarela e vamos contar pra vocês como surgiu.
Os lenços, assim como as roupas, tem como sua primeira função proteger o corpo. Podem ser usados também seguindo uma moda, como véu religioso ou como identificação entre pessoas e seus grupos, suas origens, tribos, status social etc. Seguem algumas curiosidades interessantes sobre esta peça:

Dizem que a rainha Nefertiti foi a primeira mulher na história a usar um lenço na cabeça em 1350 a.C. O tipo de lenço que a misteriosa rainha do Egito usava era conhecido como “khat”. – Em 1261 d.C a dança do ventre, dançada no Egito, trazia o lenço como acessório para a dança e para o figurino da dançarina, que amarrava o lenço na cintura como uma saia.

O ciganos usavam e ainda usam lenços na cabeça e amarrados no corpo.
Dizem que a Rainha Vitória da Inglaterra e a princesa Elena Meshcherskaya da Rússia foram duas das responsáveis por ajudar a popularizar o lenço como acessório entre o ano de 1837 e 1843.

Em 1837, a grife francesa Hermès (famosa por seus lenços de seda quadrados e estampados) foi inaugurada e apesar de encontrarmos referências sobre uma maior popularização dos lenços através da Rainha Vitória e a princessa Elena, o que se sabe é que a moda dos lenços começou a se popularizar de verdade por causa da Hermès e esta popularização começou em 1930 na França, país onde tradicionalmente a moda foi por muitos e muitos anos seu maior produto de exportação.

Em 1937, a  Hermès  lançou sua primeira linha de carré, o lenço de seda quadrado e estampado que logo ganhou a cabeça de senhoras francesas e estrelas de Hollywood e apesar de encontrarmos referências sobre uma maior popularização dos lenços através da Rainha Vitória e a princessa Elena, o que se sabe é que a moda dos lenços começou a se popularizar de verdade por causa da Hermès De lá para cá, mais de 2.000 estampas foram produzidas por 150 artistas do mundo todo e até hoje, permanece como item de desejo fashion.

Na década seguinte, já popularizada, a peça ganhou mais fãs famosas e outras formas de
amarração. No auge de sua carreira internacional, a cantora Carmen Miranda, por exemplo,
alternava seu famoso turbante de frutas com lenços envolvendo o cabelo e amarradinho no
topo. Usado de forma autentica e com exageros Carmen Miranda mostrou que o lenço/turbante era a sua marca registrada.

Na década seguinte, já popularizada, a peça ganhou mais fãs famosas e outras formas de
amarração. No auge de sua carreira internacional, a cantora Carmen Miranda, por exemplo,
alternava seu famoso turbante de frutas com lenços envolvendo o cabelo e amarradinho no
topo. Usado de forma autentica e com exageros Carmen Miranda mostrou que o lenço/turbante era a sua marca registrada.